Daniela Raymundo é barista

Barista Daniela Raymundo dá dicas para identificar um bom expresso.

Quando começou a trabalhar com café?

Foi em 2002, quando tive a oportunidade de ir morar em Sydney, na Austrália.

Como avalia o mercado de cafés no Rio Grande do Sul?
O mercado ainda é pequeno por aqui, mas já estão crescendo as opções. Aumenta a concorrência entre as marcas, aumenta a qualidade e quem ganha é o cliente.

O brasileiro vem se tornando um consumidor mais exigente?
Sem dúvida. O consumo de café no Brasil vem evoluindo anualmente e o brasileiro está afinando seu paladar, exigindo cada vez mais cafés de melhor qualidade.

E qual é a preferência nacional?
Acho que o café passado ainda é o mais tomado. O expresso vem aumentando seu consumo, mas o passado ainda é a preferência no geral.

Em sua opinião, as cafeterias do Rio Grande do Sul contam com bons baristas?
As cafeterias aqui no Sul têm com certeza investido um pouco mais na capacitação dos seus baristas, mas isso ainda é a minoria infelizmente. Quanto mais capacitados forem os baristas, mais clientes fiéis se têm e mais café se vende… é um ciclo.

Você ministra cursos para baristas. O que é ensinado nestes cursos?
Meu foco de trabalho são os cursos, que são sempre individuais, não há turmas, o que faz o aluno ficar mais próximo da máquina e fazer muito mais café, tornando o curso 99% prática. É ensinado desde o grão, diferenças entre arábica e robusta, tipos de café, extração do expresso, identificação visual da bebida, utilização correta dos acessórios de barista, intensivo de texturização do leite, execução de algumas bebidas do cardápio de cafés, manutenção da máquina e Latte Art – os desenhos nos cafés.

O que é preciso para tirar um bom café?
Determinação de aprender a trabalhar com café, consideração com o cliente e paixão pela profissão.

Como identificar um bom café pelo visual?
Não é difícil. Ao receber o café, vamos falar do expresso, verifique se a crema – a parte cremosa do café, está fechada, se aparecer o líquido abaixo dela, peça outro café. Analisando ainda a crema, veja se há uma mancha branca grande e se houver, peça outro, essa mancha indica um café super extraído, com gosto amargo. A xícara deve estar quente, mas não deve estar fervendo a ponto de queimar seu lábio. Se a sua xícara vier muito cheia, seu café não estará cremoso. Quando falamos de café expresso, menos é sempre mais!

Qual é o expresso perfeito?
É aquele que a gente gosta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here