Natural de Bagé, o chef Raffa Leal descobriu a paixão pela cozinha já na infância.  A clássica cena da família ao redor da mesa e o prazer do pai ao cozinhar foram fundamentais para que ele se tornasse um cozinheiro. Mesmo cozinhando há bastante tempo, a decisão em buscar a profissionalização na área veio após um grave problema de saúde. “Ao final de um ano de luta, recebi a notícia da cura de um melanoma, então resolvi viver rodeado das coisas que mais amava”, conta Rafa.  Por meio do curso de Gastronomia Internacional, todo esse amor pela cozinha, finalmente, pôde se unir a técnica e profissionalismo da área.

Na bagagem, o chef carrega as experiências compartilhadas  no Vila Joya Resort, em Algufeira, Portugal.  Lá trabalhou ao lado do austríaco Dieter Koschina e o Italiano Matteu Ferrantino. “Minha experiência foi fantástica, o Vila Joya é considerado o melhor restaurante de Portugal e está entre os 10 melhores da Europa, com 2 estrelas Michelim, gastronomia mediterrânea com foco em sustentabilidade”, diz o chef.  Raffa Leal também comenta que trabalhou com chefs mexicanos, alemães e . “Essa experiência só enriqueceu minha visão dentro da cozinha”, conta Leal.

Hoje ele tem o próprio negócio, o Raffama Bistrô Café. Ao lado de seu sócio, Rafael Lör, o chef busca oferecer um local para que os clientes alimentem o corpo e a alma. No bistrô é possível fugir da agitação do centro de São Leopoldo e ter alguns minutos de tranquilidade e boa comida. Outro diferencial do Raffama é que lá é possível almoçar a qualquer hora, ótimo para quem possui uma rotina corrida. No cardápio encontramos lanches exclusivos, risotos, massas e grelhados de diversos tipos de carnes e peixes, além do omelete recheado, que tem sido a sensação do momento.

Chef Raffa Leal 1
Chef Raffa Leal

Em quais restaurantes você já trabalhou?
Vila Joya Resort, DeGostu Saude (Porto Alegre), Piastrella Pizzaria  e Botequim Brasil (Porto Alegre).

Já passou enfrentou alguma  dificuldade durante a tua carreira?
A maior dificuldade foi em um feriado de  1º de Maio, quando eu era Sub-Chef e somente dois auxiliares de cozinha apareceram para trabalhar. Tivemos que nos virar em 3 cada um para suprir a falta dos outros, mas no final deu tudo certo.

 Qual culinária que mais te encanta? 
A culinária marroquina é a que mais me encanta, a combinação de especiarias e pimentas na medida certa são fantásticas.

O que te inspira na hora de preparar os teus pratos?
Minhas inspirações são variadas, tudo depende do momento que estou vivendo, mas tudo se resume na paixão pela vida, pela família e no sorriso de alegria que meus pratos  proporcionam quando coloco-os em frente aos meus clientes.

Qual ingrediente tipicamente brasileiro que não pode faltar nas tuas receitas? 
Gosto de utilizar muito a castanha do Brasil, além do sabor, brinco muito com a crocância que ela proporciona.

O que  torna um “cozinheirozinho” um chef de verdade?
A capacidade de se comprometer com tudo que realmente deve ser feito dentro da gastronomia, desde a compra correta até o momento final da degustação de seus pratos. Mas ser chef de cozinha não se resume somente à cozinha, temos que ter a cabeça voltada  e preocupada com a fome social, a ecologia, o aproveitamento total dos ingredientes. Temos que contribuir de alguma forma com a sociedade e não apenas alimentá-la de forma correta e saudável.  Somos  também, responsáveis pela saúde física e intelectual das pessoas, uma vez que nossos pratos nutrem o corpo e alimentam a alma de forma prazerosa.

Como os brasileiros se alimentam hoje?
Na minha visão, há muito ainda o quê melhorar, a grande maioria dos brasileiros estão mais preocupados com a quantidade de alimento no prato do que a qualidade.

O que significa comer bem hoje?
Na minha opinião comer bem é seguir uma rotina de horário, sem intervalos muito grandes entre uma refeição e outra, basear as refeições em alimentos funcionais e que causem satisfação tanto para a saúde quanto para o espírito.

Como é a tua alimentação no dia a dia?
Meus dias são bem corridos e algumas vezes não consigo sentar para almoçar ou jantar, mas dentro do possível busco ter uma alimentação balanceada, com bastante verde e frutas. Saio um pouco da linha quando faço minha refeição no meu Bistrô.

Alguma pessoa em especial para quem você gostaria de cozinhar?
Sim. Gostaria de cozinhar para José Antônio Pinheiro Machado, do Anônimos Gourmet e para a Chef Morena Leite do Capim Santo SP.

São Leopoldo/RS
João Neves Da Fontoura, 529, Centro
Fone: (51) 3572-0367



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here