Por ano, o Brasil consome mais de 15 bilhões de litros de cerveja. Segundo dados do Ibope, em 68% das comemorações brasileiras, a ceva, ou a breja, marca presença. Sucesso nesse Brasil tropical por ser consumida, preferencialmente, gelada, a cervejas também podem trazer benefícios para a saúde, se consumidas com moderação. Quer um exemplo: Cerveja tem 0% de gordura e ainda reduz o risco de doenças cardíacas, diabetes do tipo 2 e ainda fortalece os ossos.

E na Europa o assunto é levado a sério. O Ministério da Agricultura, Alimentação e Meio Ambiente da Espanha promoveu um grande encontro entre especialistas de diversos países e de várias áreas da medicina que pesquisam os efeitos do consumo moderado de álcool, e especialmente de cerveja. Os médicos e nutricionistas divulgaram como incluir a cerveja em uma dieta saudável (que não engorda, inclusive), capaz de atuar de forma protetora na osteoporose, nos problemas cardiovasculares e nos distúrbios da menopausa. O ponto em comum dos trabalhos apresentados é: se o consumo extrapolar a moderação os benefícios são anulados. Apostando no lado bom do consumo, o governo espanhol está defendendo a inclusão da cerveja na pirâmide alimentar e está empenhado em divulgar os efeitos benéficos do consumo moderado da bebida – no máximo duas latinhas por dia.

Mas atenção: sabe aquela história de que a diferença entre remédio e veneno é a quantidade? Para a cerveja também se aplica. Beba com moderação.

copo-de-cervejaConheça os benefícios:

Melhora o Sistema Imunológico Segundo um artigo de 2007 publicado no British Journal of Nutrition, há cada vez mais evidências conectando os benefícios para a saúde relacionados com o consumo moderado de bebidas alcoólicas ricas em polifenóis, como cerveja ou vinho. O artigo afirma que, embora o uso exagerado de álcool pode suprimir a resposta imunológica, o consumo moderado parece ter um impacto benéfico sobre esse sistema quando se compara pessoas que bebem moderadamente e pessoas que não bebem.

Faz bem para os ossos A cerveja é uma importante fonte de silício, um ingrediente essencial na dieta e que ajuda a melhorar a densidade mineral óssea. Esse estudo publicado no The Journal of Nutrition Health and Aging relaciona positivamente a substância à saúde óssea. E a cerveja aparece como um grande contribuinte para a quantidade de silício em uma dieta.

Previne o cálculo renal Uma pesquisa publicada no American Journal of Epidemiology concluiu que a cerveja está “inversamente associada ao risco de pedras nos rins”. Mais do que isso, os cientistas chegaram a dizer que cada garrafa da bebida consumida por dia poderia reduzir esse risco em 40%. Obviamente que se você exagerar vai ter mais problemas do que soluções. Mas consumir moderadamente é muito válido!

Evita o desenvolvimento de Alzheimer Em relatório divulgado por cientistas da Universidade Loyola, em Chicago (EUA), após a revisão de 143 estudos datando desde 1977, e envolvendo 365 mil participantes, que relacionam o consumo de álcool a problemas cognitivos, foi constatado que pessoas que consumiram cerveja, vinho e destilados com moderação eram 23% menos propensas a desenvolver o Mal de Alzheimer ou outros tipos de demência do que aqueles que não ingeriam álcool.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here