Marina Guedes é sócia-proprietária da Gastromundi – empresa que presta serviços gastronômicos personalizados para eventos. Iniciou sua trajetória ainda enquanto era estudante do curso de gastronomia do Senac de Porto Alegre, realizando pequenos eventos e jantares como Personal Chef. Formada, trabalhou com a chef Taci Klein, aprimorando seus conhecimentos em culinária internacional.

Para adquirir formação necessários à implantação do conceito de culinária mundial da Gastromundi, Marina viajou por diversos países da Europa. Passou um ano em Londres, na Inglaterra, onde trabalhou na rede de restaurantes Giraffe, que tem como ideia central em seu menu as “comidas do mundo”, com opções culinárias dos cinco continentes.

Confira a entrevista com a chef:

Quando e por que você decidiu ser chef? Graduei-me em Turismo muito jovem e trabalhei na área por 8 anos, mas sentia que essa não era minha verdadeira vocação. Foi na gastronomia que me realizei como profissional. Meu interesse pela cozinha existiu desde pequena, pois minha avó materna provocava meus sentidos preparando  delícias e me ensinando algumas receitas.  Quando decidi mergulhar a fundo nos estudos de cozinha, tive certeza que era aquilo que fazia meu coração bater mais forte. Cada dia que passa me apaixono mais por este incrível e delicioso mundo.

Quais chefs te inspiram?  Existem alguns chefs que admiro e que considero grandes ícones da gastronomia. Marco Pierre White, um dos primeiros chefs a ousar na gastronomia contemporânea; Ferran Adrián e seu laboratório dentro da cozinha, um expoente da gastronomia molecular; a brasileira (e gaúcha!) Helena Rizzo, trabalha com os ingredientes bem brasileiros de uma forma surpreendente, criando pratos autênticos com influências da gastronomia espanhola. E talvez um dos mais importantes na minha vida, meu mestre e chef Joseph Sharratt, que me deu a oportunidade de compartilhar da sua experiência quando trabalhei no seu restaurante no período que morei em Londres.

Quais são as suas influências na gastronomia? Sou apaixonada pela gastronomia internacional. Gosto muito de pesquisar sobre a culinária de diversos países, mas a maior influência dos pratos da Gastromundi é da gastronomia europeia. Por ter estado inserida nesse mundo, tive a oportunidade de conhecer de perto a cultura que está por trás da comida deste continente.

Qual ingrediente não pode faltar na sua cozinha? São vários!! Mas não abro mão de um bom azeite de oliva extra virgem e de uma manteiga de qualidade! Não podemos negar que uma boa gordura dá sabor ao prato!

E aquele que não entra de jeito nenhum? Chocolate fracionado ou hidrogenado, aqueles com gordura vegetal. Estes, na verdade, nem poderiam ser chamados de chocolate. Além de terem pouco cacau na composição, tem muita gordura ruim e um sabor que passa longe de um chocolate de verdade.

Que restaurante frequenta quando está de folga?  Na verdade gosto de estar sempre conhecendo novos restaurantes, mas acabo indo mais vezes em alguns que curto bastante. Em Novo Hamburgo, onde moro, gosto muito de ir ao Hai Sushi, sempre tudo bem fresquinho e de qualidade. Em São Leopoldo tem o restaurante Vero, de gastronomia internacional contemporânea. E em Porto Alegre, um dos que mais gosto é o Koh Pee Pee, de culinária tailandesa.

Na cozinha, qual o principal erro que se pode comer? Falta de cuidado na segurança alimentar. Higiene e correta manipulação dos alimentos são fundamentais.

Para você, o que é tendência em gastronomia atualmente? Com o acesso mais fácil e a popularização da gastronomia, as pessoas estão se interessando muito mais sobre o assunto e tornando-se mais exigentes. Isso é ótimo, pois aumenta a qualidade da comida ofertada. Acredito que a apresentação dos pratos está se tornando cada vez mais importante. Além disso, a onda dos ingredientes industrializados e prontos está ficando de lado, dando lugar aos orgânicos, saudáveis, que valorizem os produtores locais e preparados com calma (slow food).

Uma harmonização perfeita? É clichê, mas eu adoro! Queijos e frutas me fazem salivar, mas minha combinação preferida é queijo brie com damasco.

Quais os planos para o futuro? A Gastromundi hoje não tem um local próprio para eventos, temos a nossa base com a cozinha industrial, escritório, ambiente para degustações e estoque de louças. O plano é futuramente termos nossa casa de eventos, condizente com o nosso conceito, com um ambiente aconchegante para quem aprecia uma comida de qualidade, ótima apresentação e criatividade.

Se você soubesse que morreria hoje, qual seria a última refeição? Por certo, um doce, uma das minhas maiores paixões! Existe uma sobremesa que eu amo, apesar de ser simples: Apple Crumble, uma torta quente de maçãs com especiarias, coberta com uma farofinha super crocante de amêndoas.

www.gastromundi.com
Novo Hamburgo/RS
Fone: (51) 3279-9167
Rua Alfredo Becker, 280



1 COMENTÁRIO

  1. Não tem como não me emocionar. Apesar de ser a assessora jurídica, também sou irmã dessa pessoa competentíssima e que tem a cozinha no seu coração. Um futuro brilhante está a caminho. Parabéns ao Felipe Melo que também faz parte disso tudo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here