Enquanto a Europa enfrenta a pior onda de frio dos últimos anos, no Brasil o verão se aproxima sem trégua e as temperaturas sobem dia a dia. As principais delícias típicas do inverno, fumegantes e aconchegantes, há muito ficaram para trás – impossível sentir prazer apreciando um fondue ou um chocolate quente em um calor de 30°. Mas não é preciso se despedir de todas elas até o inverno que vem. Uma tábua de queijos, por exemplo, mais comum nos períodos frios do ano, pode ser adaptada para os meses de temperaturas mais altas. O francês especialista em queijos Charles Piriou ensina que o melhor caminho é selecionar queijos mais leves. “O queijo de cabra nacional está maravilhoso e a mussarela de búfala que temos no Brasil é também de altíssima qualidade”, diz.

Apesar disso, é importante não perder de vista que é essencial ter uma seleção variada ao se montar uma tábua de queijos para receber amigos. Misturar os tipos de leite, as diferentes massas – duras, como parmesão e provolone, e moles, como brie e camembert – e até mesmo as formas valorizam o momento. “Para uma tábua de queijos inserida num jantar, o recomendável é servir quatro a seis tipos de queijos, contando 80 a 100 gramas por pessoa. Caso queira fazer uma refeição servindo apenas queijos e vinhos, contar 150 a 200 gramas por pessoa”, ensina.

REFRIGERAÇÃO

Mas o cuidado com a conservação deve aumentar. Em geral, os queijos devem ser retirados da geladeira trinta minutos antes de serem servidos. No calor do verão brasileiro, Piriou prefere que eles permaneçam refrigerados por mais tempo e voltem à geladeira logo depois. “É melhor não deixar o queijo fora da geladeira, cortar um pedaço e deixá-lo atingir a temperatura para consumo (18/20°C) no próprio prato”, diz o consultor. Se o preço é uma questão importante, melhor optar pela qualidade ao invés da quantidade.

Para o especialista, um único queijo produzido com leite puro e métodos tradicionais impressiona e satisfaz mais do que vários itens industriais. Para acompanhar o queijo, Piriou aposta em pães, manteiga de boa qualidade ou azeite. E, para beber, a adaptação para a temperatura do verão continua válida: queijo também combina com cerveja. “Cervejas delicadas e leves com queijos frescos e suaves; cervejas maltadas com queijos maturados e com notas amendoadas; cervejas mais amargas com queijos mais salgados e cervejas fortes e com maior residual de açúcar com queijos azuis”, resume.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here