A alimentação é recheada de mitos. Um deles diz que “toda gordura é prejudicial à saúde”. Porém, pesquisas recentes apontam para uma nova perspectiva com relação ao consumo de lipídios. Nutricionistas afirmam que sim há gorduras que fazem bem. Os especialistas defendem que a gordura deve fazer parte da nossa alimentação em até 30% das calorias diárias e que, quando consumida de forma correta e em quantidade adequada, pode trazer diversos benefícios.

Utilizar-se de um pouco de gordura diariamente é essencial para a saúde, pois ela é necessária para absorver as vitaminas lipossolúveis (A, D, E, e K), manter a pele macia e aparência jovial, participar na formação de hormônios, dar proteção mecânica aos órgãos, dar melhor sabor e textura nos alimentos e ainda provocar a saciedade.

A nutricionista Edna Garambone explica que há gorduras boas e ruins e detalha alguns alimentos que fornecem essas propriedades. “As gorduras boas são aquelas presentes nas oleaginosas, como amêndoa, castanha do Pará, nozes, pistaches, azeite extravirgem, e também nos peixes, como salmão, atum, sardinha. Já as gorduras ruins, basicamente, são provenientes da fritura, mesmo que sejam feitas com óleo vegetal, e as gorduras industrializadas, a trans, as esterificadas, presentes na margarina, em biscoitos”, explicou a nutricionista.

amendoa-possui-gorduras-boas
As gorduras boas são aquelas presentes nas oleaginosas, como amêndoa, castanha do Pará, nozes, pistaches, azeite extravirgem

Edna também detalha a diferença entre gorduras insaturadas e saturadas. “As mais benéficas ao organismo são as insaturadas, e são provenientes de alimentos de origem vegetal. As saturadas não são tão benéficas e são provenientes mais de alimentos de origem animal, como leites gordos, queijos e carnes gordas”, aponta Edna.

Outros tipos de gorduras são o ômega 3 e o ômega 6. “O ômega 3 é uma gordura bastante benéfica que previne doença cardiovasculares, ajuda na formação do cérebro e estão em peixes gordos de água fria, tipo arenque, salmão, sardinha. E o ômega 6 é mais presente nos óleos vegetais, mas a gente não deve comer demais, porque são óleos inflamatórios”, ressaltou a nutricionista.

Como substituir as gorduras ruins por gorduras boas

­-Troque a manteiga, com gorduras saturadas, por alimentos com gorduras insaturadas, como o creme vegetal. Uma dica importante é sobre a manteiga: quanto mais dura é em temperatura ambiente, maior é o conteúdo de gordura saturada.

manteiga-saude
Dica para saber a quantidade de gordura na manteiga: quanto mais dura é em temperatura ambiente, maior é o conteúdo de gordura saturada.

– Substitua comidas como batatinhas chips e biscoitos com gordura trans por iogurtes/bebida láctea desnatados, frutas e sanduíches naturais com pão integral.

– Sempre verifique o conteúdo dos tipos de gordura nos rótulos de alimentos. Escolha aqueles com os menores teores de gordura saturada e sem gordura trans

– Opte por alimentos de leites e derivados com baixo teor de gordura, como leites desnatados ou semidesnatados, iogurtes/bebidas lácteas e queijos com baixo teor de gordura.

– Troque carnes gordurosas como carne seca, costela, cupim, bisteca de porco, salame, por exemplo, por carnes magras como alcatra, acém, coxão duro, coxão mole, filé mignon, lagarto, maminha e lombo de porco. Sempre retire a gordura aparente antes de comer.

– Sempre que possível, troque carne vermelha por frango sem pele, peru ou peixes oleosos como cavala, arenque, ou salmão.  Os peixes gordurosos são fontes de gorduras ‘boas’ (insaturadas).

*Com informações da EBC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here