(Foto: Divulgação Fenadoce)

A Feira Nacional do Doce – Fenadoce 2016, que acontece de 25 de maio a 12 de junho, no Centro de Eventos Fenadoce, em Pelotas (RS),chega aos 30 anos de história reforçando seu potencial cultural e turístico, que atrai quase 300 mil visitantes todos os anos e 250 expositores, além de vender mais de dois milhões de doces. A origem do evento está nos tradicionais doces dos colonizadores portugueses, apreciados no coração da feira, a Cidade do Doce, área de 600m², onde mais de 30 doceiras comercializam mais de 200 tipos de produtos.

Dados de pesquisa aplicada durante a Fenadoce 2015 pelo Curso de Turismo da Universidade Federal de Pelotas – UFPEL, a pedido da organização da feira, comprovam o potencial turístico e a movimentação econômica que o evento gera na cidade, além da projeção do nome de Pelotas como capital nacional do doce. Os gastos dos turistas na feira concentram-se em alimentação, doces e bebidas e 95% dos turistas entrevistados pretendem voltar nas próximas edições. A pesquisa mostrou que 60% são visitantes de pelotas e 40% são turistas de outras cidades do RS ou de fora do estado. A infraestrutura do evento também foi aprovada por mais de 80% dos turistas que circularam em 2015. Mais de 40% dos entrevistados, tanto de visitantes como turistas, concentra-se na faixa etária de jovem e jovem adulto (16 a 45 anos), mas a feira contempla uma variedade de público bem grande com números significativos em todas as faixas etárias.

“Na área de exposição, a média de participação das empresas é de nove anos, o que comprova o retorno em vendas e divulgação de marca que a Fenadoce oferece aos negócios. Este ano já estamos com a área de exposição praticamente lotada, restando alguns setores com espaços a serem comercializados”, afirma Adilson Lucas Buroxid, Executivo da CDL Pelotas, promotor da feira. O evento oferece 11 setores de exposição entre alimentação, moda, comercio serviços, artesanato, casa e decoração, entre outros.

A Fenadoce é motivo de orgulho para o pelotense e dá visibilidade para a toda a produção cultural e artística do RS, com dezenas de apresentações. “Somos um berço de produção de arte e cultura. A feira mostra a cara de Pelotas e sua história. É a consagração do doce nesse movimento de crescimento socioeconômico que Pelotas teve desde o charque até o doce, que movimenta a economia. Uma feira nacional, que valoriza a cultura local”, avalia João Fernandes Thomaschwsky, Gerente do Centro Eventos Fenadoce.

Doces certificados
Os doces pelotenses são protegidos por um Selo de Autenticidade, o que garante a procedência e a qualidade dos produtos. A certificação foi conquistada pela Associação dos Produtores de Doces de Pelotas como forma de assegurar lugar no mercado. São 15 doces protegidos pelo selo: bem casado; quindim; ninho; camafeu; olho de sogra; pastel de santa clara; papo de anjo; fatia de braga; trouxas de amêndoas; queijadinha; broinha de coco; beijinho de coco; amanteigado; panelinha de coco, além dos doces cristalizados de frutas.

Corte Oficial Fenadoce 2016
Eleitas em outubro de 2015, a Corte Oficial da Fenadoce 2016 atua intensamente para promover o evento em todo do Rio Grande do Sul. A Corte 2016 é composta pela Rainha Liz Gil Araujo Pereira, 20 anos, natural de Pelotas e cursa Odontologia na Universidade Federal de Pelotas e as princesas Débora Lopes Lemos, 22 anos, formada no curso técnico em Vestuário no CAVG/IF-Sul e Amabile de Castro Silva, 20 anos, cursa Artes Visuais na Universidade Federal de Pelotas.

A Fenadoce recebe anualmente cerca de 250 expositores e 300 mil visitantes. São 170 mil m² de feira, sendo 22 mil m² de área coberta. Em 2015, foram vendidos 2.300 milhões de doces nos 19 dias de evento.

Crédito Reverso Comunicação 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here