Foto: Francielle Caetano/PMPA

Primeira cidade brasileira a estruturar o segmento de Turismo Criativo no País, Porto Alegre abre neste sábado, 3 de setembro, uma extensa programação de oficinas da cultura e das tradições gaúchas do projeto Turismo de Galpão, que entra em sua 5ª edição no Acampamento Farroupilha deste ano. Para quem viaja o mundo buscando experiências inusitadas e que promovam um contato direto com a cultura e as pessoas dos lugares visitados, esta é uma boa oportunidade de conhecer e desfrutar de um evento que ocorre todos os anos, em setembro, na capital do Rio Grande do Sul, para exaltar o simbolismo de uma revolução ocorrida no século 18 e o amor dos gaúchos pelas coisas da sua terra.

Desde sua primeira edição, em 2013, o Turismo de Galpão está transformando o Acampamento Farroupilha, que é realizado há mais de 30 anos, em um atrativo turístico diferenciado justamente por utilizar, como matéria-prima das oficinas, a culinária regional, a indumentária gaúcha, as atividades campeiras, o artesanato, a música e as danças folclóricas transformadas em oficinas rápidas e práticas para interação dos visitantes com a cultura local.  Aprender a fazer o churrasco gaúcho, o chimarrão, o arroz de carreteiro, a roda de carreta e paçoca de pinhão, um café de cambona, a encilhar e montar cavalos, forjar e afiar facas, danças folclóricas com peões e prendas tipicamente vestidos são algumas das oficinas que até hoje já atraíram mais de 3.600 participantes, entre turistas de vários estados brasileiros e estrangeiros de mais de 20 nacionalidades. “O Turismo de Galpão já pode ser considerado como a mais autêntica expressão do conceito de Turismo Criativo no Brasil”, avalia o secretário de Turismo da capital gaúcha, Luiz Fernando Moraes. A programação completa das oficinas está no site www.portoalegrecriativa.info.

A programação de oficinas será desenvolvida diariamente até 20 de setembro, quando se encerra o Acampamento Farroupilha. Elas acontecem no ambiente simples e rústico de 40 do total de 370 galpões de madeira que fazem a grande festa gauchesca no Parque da Harmonia, área verde praticamente central da cidade.

Festival – Neste ano, a programação do Turismo de Galpão traz como inovação o 1º Festival Comida de Galpão, evento gastronômico idealizado pela gaúcha de Passo Fundo, Clarice Chwartzamnn. Nacionalmente conhecida como A Churrasqueira, Clarice tem disseminado a gastronomia e a tradição gaúcha pelo País com seus cursos de churrasco para mulheres e recebido espaço em programas de tevê (como Mais Você, Saia Justa e Master Chef Brasil), em revistas e jornais (revistas Claudia, Globo Rural, Folha de São Paulo, Valor Econômico e Portal Terra).

O festival reunirá no Espaço de Hospitalidade do Turismo de Galpão alguns dos mais importantes chefs e cozinheiros do Rio Grande do Sul que irão arregaçar as mangas na criação e preparo de pratos que resgatem e valorizem a gastronomia regional usando diferentes tipos de fogo e ingredientes, associando sua leitura contemporânea à simplicidade e à autenticidade da comida campeira, de galpão. No dia 20 de setembro, entre às 11h e 21h, o público do Acampamento Farroupilha poderá não só ver de perto esses grandes profissionais preparando suas especialidades como conferir o sabor dos pratos típicos que serão oferecidas em diversas bancas, no estilo “comida de rua”. O ingresso, por pessoas, será de R$ 20, com venda no local.

A história que inspira o Acampamento Farroupilha

Os gaúchos viveram em sua história uma longa revolução por independência. A partir do século XVI, época da formação da América Meridional, em que os reinos de Espanha e Portugal enfrentavam-se em batalhas por posições geopolíticas neste novo continente. O Rio Grande do Sul estava no centro desta disputa. Foram esses sucessivos confrontos bélicos para impedir que esta região pastoril, de extensas planícies na fronteira com Uruguai e Argentina caísse dominada pelos espanhóis que passaram a imprimir aos gaúchos personalidade e hábitos próprios, espírito guerreiro e forte amor pela terra que defendiam.

Mas foi no século XIX que o Rio Grande do Sul teve sua maior batalha, na defesa de suas ideias liberais, republicanas e por maior autonomia. E não foi mais contra espanhóis, mas em reação à política e regras econômicas do próprio Império Português no Brasil. A pecuária era a base da economia dos gaúchos, e cansados de esperar pela redução dos impostos praticados sobre o charque, carne salgada e seca ao sol que tinha nas fazendas sulistas a maior produção do Brasil, em setembro 1835 deflagraram a Revolução Farroupilha que proclamou a República Rio-Grandense, autônoma e independente. A rebelião durou 10 anos, uma das mais longas do país.

A guerra acabou sufocada e gravou no gaúcho o sentimento de pertencer a duas pátrias: uma o Brasil, a outra o Rio Grande do Sul, a pátria local, construída a partir das batalhas. O simbolismo revolucionário, o espírito guerreiro e o amor pelas coisas da terra são até hoje cantados em hino, homenageados em desfiles, nomes de ruas e parques, preservados no cotidiano e exaltados no Acampamento Farroupilha. Esta é uma das maiores festas folclóricas do Brasil, que ocorre todos os anos no coração central de Porto Alegre, capital do Estado.

Crédito: Secretaria Municipal de Turismo de Porto Alegre

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here