(Foto: Divulgação Festival Fartura)

Carlos Kristensen participa do Festival Fartura – Comidas do Brasil e Portugal, que será em novembro, em Lisboa

Após percorrer mais de 70 mil km, em todos os estados brasileiros, mapeando a gastronomia – ingredientes, receitas e personagens – e levando festivais para todas as regiões do país, a Plataforma Fartura desembarca pela segunda vez em Portugal para celebrar a conexão entre as duas culturas gastronômicas, com o Festival Fartura – Comidas do Brasil e Portugal. O evento será nos dias 16 e 17 de novembro, no Time Out Market em Lisboa.

Com curadoria gastronômica brasileira de Luiza Fecarotta, foram convidados chefs de todas as regiões brasileiras, referências em suas cozinhas. O chef gaúcho Carlos Kristensen, dos restaurantes UM Bar e Cozinha e Hashi Art Cuisine e seis vezes premiado em Porto Alegre, será o destaque da Região Sul, com uma aula demonstrativa. Referência nacional na pesquisa de ingredientes gaúchos, ele lançou, em 2016, uma coleção de produtos artesanais produzido por famílias do Rio Grande do Sul.

Os outros representantes brasileiros são Bel Coelho (SP), pesquisadora que já passou por renomados restaurantes no mundo, como o três estrelas Michelin “El Celler de Can Roca”; Ivan Prado (CE – Nordeste), autor do projeto “Saberes e Sabores do Ceará”; a promessa mineira Caetano Sobrinho (MG – Sudeste); (RS – Sul), na capital gaúcha; Ariani Malouf (MT – Centro-Oeste), considerada a melhor chef de Cuiabá (Veja 2018); e o pesquisador da gastronomia paraense Felipe Gemaque (PA – Norte). Acompanham a comitiva, produtores e ingredientes de todo o país.

(Foto: Divulgação Festival Fartura)

Chefs e produtores portugueses de renome também participam, em um intercâmbio de conhecimentos e sabores. Entre os já confirmados estão Vitor Sobral, do A Tasca da Esquina, referência da gastronomia lusófona; e o premiado João Rodrigues, que chefia o Feitoria, com sua estrela Michelin.

A base da curadoria dos Festivais vem da Expedição Fartura, que são viagens de pesquisa gastronômica. Em maio, a Plataforma realizou a primeira Expedição internacional, percorrendo uma parte do território português, fato inédito no país. “Foi muito gratificante mostrar nosso país em sua essência. Vivemos um momento de valorizar a interação entre produtores, chefs e cozinheiros, embora seja algo ainda pouco comum por aqui, neste formato. Portanto, este tipo de trabalho é muito importante, podendo estabelecer relações fortes e duradouras”, explica Teresa Vivas, curadora gastronômica em Portugal.

“Em 2017, a Plataforma expandiu suas fronteiras e buscou em Portugal as influências na gastronomia brasileira, tornando o país o primeiro destino do projeto fora do Brasil. Para 2018, Lisboa entra no calendário fixo dos festivais, com uma versão maior, com dois espaços em um centro de renome, como o Time Out Market. Nosso foco é mostrar, de forma interativa, nossa diversidade cultural e gastronômica e seus pontos de conexão. Valorizar nossos chefes e produtos, estabelecer uma plataforma de negócios internacionais, visando também o network”, explica Patrícia Tavares, Diretora de Relações Internacionais da Plataforma Fartura.

Com o tema que norteia o projeto – da origem ao prato – o Festival Fartura Lisboa terá a seguinte programação: um almoço de lançamento; um espaço de produtos e produtores de ambos os países; bate-papo entre chefs e produtores brasileiros e portugueses; mesas de negócios para trocas de experiências; um coquetel para networking; exibição de filmes sobre a Expedição Fartura; e cozinhas ao vivo, com chefs brasileiros e portugueses preparando almoços e jantares para o público.

“A ideia central de ir pra Portugal é estreitar os laços com nossas origens. Descobrir em quais elementos o Brasil se apropriou da culinária portuguesa e incorporou na nossa cozinha – e vice versa. Queremos gerar trocas entre os dois países. Vamos mostrar ao público a gastronomia das cinco regiões do Brasil. E queremos promover discussões para provocar iniciativas de trânsito de ingredientes, trocas de experiências, culturas e negócios”, explica o Diretor Geral da Plataforma Fartura, Rodrigo Ferraz.

O Festival Fartura – Comidas do Brasil e Portugal tem patrocínio da APEX, copatrocínio dos governos de Minas gerais, Pará e Ceará, apoio da Invest Lisboa, da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, Tap Portugal e Savvy Gin. Apoio local: Time Out Market.

Programação – Festival Fartura – Comidas de Brasil e Portugal

14/11
Almoço especial para convidados com o chef Ivan Prado, do Ceará.
Horário e local: a confirmar. Fechado para convidados.

16/11
Time Out Market – Estúdio
14h às 22h – Espaço Origens. Exibição de filmes sobre a Expedição Fartura – aberto ao público. Exposição e degustação de produtos brasileiros e portugueses – aberto ao público.
15h – Bate-papo com chefs e produtores brasileiros e portugueses – gratuito, com vagas limitadas. Inscrições 1h antes do evento.
16h – Mesas de negócios para intercâmbio de conhecimento – fechado para convidados.
18h – Coquetel de networking, com foco em geração de negócios. Fechado para convidados.

Time Out Market – Academia
Cozinhas ao vivo – um almoço e dois jantares com chefs brasileiros e portugueses – gratuito, com vagas limitadas. Inscrições 1h antes do evento.

17/11
Time Out Market – Estúdio
14h às 22h – Espaço Origens. Exibição de filmes sobre a Expedição Fartura – aberto ao público. Exposição e degustação de produtos brasileiros e portugueses – aberto ao público.
15h – Bate-papo com chefs e produtores brasileiros e portugueses – gratuito, com vagas limitadas. Inscrições 1h antes do evento.
16h – Mesas de negócios para intercâmbio de conhecimento – fechado para convidados.

Time Out Market – Academia
Cozinhas ao vivo – um almoço e dois jantares com chefs brasileiros e portugueses – gratuito, com vagas limitadas. Inscrições 1h antes do evento.

Sobre os chefs

Carlos Kristensen (RS): chef do restaurante Hashi e Um Bar e Cozinha, destaca-se pela pesquisa de ingredientes gaúchos no Brasil. Em 2016, lançou uma coleção de produtos artesanais produzido por famílias da região do Rio Grande do Sul.

Bel Coelho (SP): premiada chef do Clandestino, formou-se pelo Culinary Institute of America (CIA), trabalhou em alguns dos restaurantes mais importantes do mundo, como o El Celler de Can Roca. Viaja o país pesquisando a cozinha brasileira em diversos projetos. Apresentou o Receita de Viagem (TLC), em que percorreu mais de 35 cidades do país, aprofundando sua pesquisa.

Ivan Prado (CE): formado em Gastronomia pelo Centro Universitário SENAC São Paulo (2009); ProChef pelo The Culinary Institute of America (2013). Desde 2011 é Chef e Consultor Gastronômico do SENAC\CE, desenvolve ações de qualificação nos segmentos de Gastronomia e Hotelaria. Pesquisador da gastronomia cearense é autor do “Projeto Saberes e Sabores do Ceará”, que consiste na pesquisa e catalogação de ingredientes e técnicas culinárias que estão apenas na compreensão popular ou perdida pelo tempo.

Vitor Sobral (Lisboa): conhecido pela sua forma única de interpretar e modernizar pratos tradicionais portugueses, é mestre a conservar temperos e sabores típicos. O seu percurso levou-o aos restaurantes mais conhecidos, tendo hoje os seus próprios espaços na Tasca da Esquina e Cervejaria da Esquina, em Lisboa. Recebeu o grau de comendador da Ordem do Infante D. Henrique em Março de 2006. É chef consultor gastronomico de várias marcas de renome, como a TAP, Vista Alegre, Silampos, colaborando ainda com alguns restaurantes.

João Rodrigues (Lisboa): formou-se em cozinha e pastelaria na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, trabalhou nos Hotéis Sheraton, Ritz e Lisboa Plaza. Passou pelo restaurante Bica do Sapato, Hotel Ritz Four Seasons, Varanda (2 estrelas Michelin) e Pragma. Em 2007 ganhou o concurso “Chefe Cozinheiro do Ano”. Em 2009 participou na abertura do Altis Belém Hotel & Spa como sub-chef do Hotel e chef residente do restaurante Feitoria. O restaurante ganhou a sua primeira estrela Michelin em 2011 e tem-na renovado há 7 anos consecutivos. Desde 2013 é o chefe executivo do Altis Belém Hotel & Spa e em 2015 foi distinguido como Chef d’Avenir – Chefe do Futuro pela Academia Internacional de Gastronomia.

Caetano Sobrinho (MG): com formação no ICIF – Italian Culinary Institute for Foreigners, na Itália, no Senac e na Universidade Anhembi Morumbi, Caetano largou a faculdade de Farmácia para cursar gastronomia. Já passou por renomados restaurantes como o Julia Cocina, com Paola Carosella, chefiou o A Favorita durante sete anos e, atualmente, gerencia seu próprio restaurante em Belo Horizonte, o Caê.

Ariani Malouf (MT): formada pela escola francesa Le Cordon Bleu, está à frente do restaurante Mahalo, em Cuiabá, no Mato Grosso, onde dedica-se à pesquisa de ingredientes e preparos da região. Também é a responsável pelo cardápio do bufê Leila Malouf, criado por sua mãe.

Felipe Gemaque (PA): bacharel em gastronomia e cozinha internacional. Começou estagiando aos 15 anos no restaurante Família Sicília. Trabalhou em diversos restaurantes, entre eles o “Lá em Casa”, um dos mais tradicionais da capital paraense, além de atuar com o chef Ofir Oliveira, conhecido por valorizar a culinária local. Atualmente, gerencia a 2+1 Produções Gastronômicas, em Belém, onde desenvolve trabalhos como personal chef.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here