Assistência técnica para 200 produtores e disponibilização de linhas de crédito para as micro e pequenas empresas integram os termos das parcerias alinhadas hoje. Ontem, reunião da Frente Parlamentar da Vitivinicultura e Fruticultura reforçou encaminhamento de pleitos do setor.

As assinaturas de dois convênios para qualificar a produção vitivinícola marcaram a agenda desta quinta-feira (1º) da 39ª Expointer, em Esteio (RS). Pela manhã, foi renovado o convênio entre o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) que promoverá cursos e treinamentos de qualificação para mais 200 produtores de uva da
Serra Gaúcha. De tarde, foi firmada parceria entre o Instituto, o Banco de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul (Badesul), a Secretaria de Agricultura Pecuária e Irrigação (Seapi) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDCT) para disponibilização de linhas de crédito. A agenda do setor na feira também compreendeu, ontem (31), uma
reunião de trabalho da Frente Parlamentar da Vitivinicultura, para o encaminhamento de pleitos junto aos governos nas esferas estadual e federal.
No convênio firmado de manhã de hoje, serão disponibilizados recursos pelo Senar e caberá ao Ibravin a articulação das 20 turmas, a capacitação dos instrutores e o material. O modelo do convênio assinado em 2015 será repetido, com as empresas vinícolas trabalhando em conjunto com produtores que fornecem a matéria-prima a elas. Ao final, os viticultores serão certificados em Boas Práticas Agrícolas (BPA) e auditados pelo Instituto,
por amostragem.

Presidente do Ibravin, Dirceu Scottá (de terno escuro), e o presidente do Conselho Administrativo do SENAR/RS, Carlos Sperotto (assinando o documento), renovam convênio para assistência técnica no setor vitivinícola. Foto: Tiago Francisco/Divulgação Farsul
Presidente do Ibravin, Dirceu Scottá (de terno escuro), e o presidente do Conselho Administrativo do SENAR/RS, Carlos Sperotto (assinando o documento), renovam convênio para assistência técnica no setor vitivinícola. Foto: Tiago Francisco/Divulgação Farsul

O presidente do Ibravin, Dirceu Scottá, explica que o objetivo é
profissionalizar e ajudar a viabilizar a produção dos viticultores da Serra Gaúcha. “Esse trabalho na propriedade é fundamental para que possamos atingir o maior número possível de produtores e para dar continuidade ao processo de qualificação dos nossos vinhos, sucos e espumantes”, disse.
Scottá se refere à primeira etapa do projeto que capacitou 170 produtores. O dirigente cita que um dos pontos trabalhados com os viticultores é sobre o uso de agrotóxicos. Scottá lembrou que, muitas vezes, a única assistência recebida é prestada pelo vendedor de insumos e que o convênio renovado também objetiva preencher esta lacuna. “Em alguns casos, o produtor é induzido a aplicar além do que é preciso ou até mesmo a usar produtos
desnecessários. Além de onerar o custo de produção, esse procedimento pode ocasionar em excesso de resíduos de agrotóxicos na matéria-prima”, enfatizou.

À tarde, foi assinado o protocolo de cooperação técnica entre o Ibravin, Badesul, SDCT e Seapi. De forma inédita, as instituições firmam convênio que prevê financiamento para micro e pequenas vinícolas, com juros subsidiados por recursos do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis).
Serão contemplados projetos de inovação e transferência de tecnologia para produção sustentável, para renovação de vinhedos com orientação para o mercado, de Boas Práticas Agrícolas (BPA), para renovação das próprias vinícolas com maquinário e para implantação das Boas Práticas Enológicas e Análise de Perigo e Pontos Críticos de Controle (APPCC). O convênio também
incluirá projetos relacionados ao enoturismo e que estimulem o
engarrafamento no RS.

“Pretendemos reforçar ainda mais o apoio à modernização e inovação no setor vitivinícola, tão importante e tradicional na economia do Rio Grande do Sul”, destacou a  presidente do Badesul, Susana Kakuta. Já Fabio Branco, titular da SDCT, classificou o setor vitivinícola como estratégico para o
estado e complementou: “Esse ato demonstra que o governo precisa esticar o braço para quem precisa, e essa iniciativa é uma forma de colocar em prática essa política”. O secretário substituto da Seapi, André Petry, também participou do ato.

Na tarde de ontem, deputados estaduais que integram a Frente Parlamentar da Vitivinicultura e Fruticultura realizaram uma reunião de trabalho para análise e encaminhamento dos pleitos pertinentes à cadeira produtiva da uva e do vinho. Executivos e dirigentes das entidades de representação do setor explanaram sobre as preocupações e pediram apoio para o encaminhamento de demandas como seguro agrícola, redução e equalização de impostos estaduais e federais, normativas do Ministério da Agricultura e uso de agrotóxicos em lavouras de soja que têm afetado parreirais. “Faremos o encaminhamento dessas demandas que já estão postuladas, subscrevendo os pleitos para agilizarmos o encaminhamento junto aos órgãos competentes”, observou o
deputado Elton Weber, presidente da Frente.

Na ocasião, também estiveram presentes a deputada Lisiane Bayer, o deputado federal Heitor Schuch, o secretário Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Tarcísio Minetto, além do chefe do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (Sipov) da Superintendência Federal de Agricultura no RS, José Fernando Werlang.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here