O domingo de carnaval, 7 de fevereiro, será especial no Espaço Tibet – primeiro restaurante tibetano do Brasil. Neste dia, será celebrado o Losar, o ano novo tibetano. Ao contrário de nós, os tibetanos não comemoram a virada do ano apenas em um dia, mas sim em um período de transição que começa em dezembro e culmina em fevereiro. Para lembrar a data, o restaurante terá decoração e cardápios especiais.

“Os tibetanos acreditam que este é um período de transição, pois as energias dos dois períodos – o ano que está terminando e o ano que está se iniciando – se misturam. Isso acaba gerando um certo desequilíbrio. Tradicionalmente os tibetanos são bastante cuidadosos neste período e costumam fazer alguns rituais de proteção, remoção de obstáculos e limpeza’’, explica Ogyen Shak. Este é o ano do macaco de fogo, considerado um ano de boa sorte e bom para concretizar os projetos.

Quem for até o Espaço Tibet, em Três Coroas, poderá conhecer e participar de rituais tibetanos que atraem boa sorte e fortuna. Um deles é a lamparina gigante, onde a pessoa pode fazer uma aspiração e oferecer algumas gotas de óleo. Outra tradição é a oferenda de Tsampa, a farinha de cevada. Cada cliente poderá pegar um punhadinho de farinha e jogar para o alto, fazendo suas intenções.Espaço-Tibet (2)

Haverá ainda degustação de  chang – cerveja tibetana feita a base de cevada ou arroz e fermento orgânico – e o tradicional chá de manteiga, preparado com chá preto, leite, manteiga e uma pitada de sal. Outra delícia que será servida para degustação junto com o chá são os kapses – os tradicionais biscoitos tibetanos de boa sorte. Dentro e fora do salão principal estarão sendo exibidos vídeos da celebração do ano novo tibetano no Tibet. Ainda do lado externo do restaurante, será instalado um bar para receber os clientes.

Sobre o Espaço Tibet
O Espaço Tibet fica na Rua Alagoas, 361, em Três Coroas, e é administrado por Ogyen, que foi trazido ao Brasil para coordenar a pintura de um templo tibetano em São Paulo, em 2006. Compartilhando a administração do empreendimento está a esposa de Ogyen, Adriana Shak, que viveu 14 anos no templo budista de Três Coroas (Khadro Ling) antes de abrir o restaurante e transformar a paixão em negócio. “Sempre procurei uma forma de divulgar meu país e a cultura tibetana”, diz Ogyen, que além de contar com dotes culinários é mestre na arte sacra tibetana. Com a chegada do inverno, o multiartista e cozinheiro planeja incluir novos pratos ao cardápio.

Crédito – Conexão Corporativa 



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here