brasil de vinhos

Uma vitrine para dar mais visibilidade ao vinho brasileiro. Essa é uma das melhores definições para o Brasil de Vinhos, plataforma de conteúdo que organiza e mapeia as vinícolas do Brasil, facilitando que o consumidor final descubra e conheça novos vinhos e regiões produtoras. A iniciativa surgiu de um grupo de amigos que têm o apreço pelo vinho como ponto em comum.

O trabalho se iniciou com uma lista prévia de cerca de 300 vinícolas, este foi o ponto de partida para o cadastro – todo digital, feito por um formulário na internet. Depois deste primeiro contato se montou uma base de dados que foi ao ar – no instagram @brasildevinhos e no site www.brasildevinhos.com.br – com cerca de 50 empresas, que apresentaram seu negócio. O cadastro inicial de todas as vinícolas é gratuito. A participação institucional de cada uma delas não tem custo algum. Em seguida foi aberta a possibilidade de cadastro para o comércio: lojas, mercados, distribuidores, e-commerces, representantes. Assim como as vinícolas, os lojistas também podem fazer parte do Brasil de Vinhos gratuitamente, de forma institucional.

Cerca de 200 vinícolas cadastradas

A medida que as informações começaram a circular e mais gente foi tomando conhecimento da plataforma, a quantidade de interessadas aumentou: hoje são cerca de 200 vinícolas cadastradas, mais de cem já publicadas tanto no instagram quanto no site.  “Nosso objetivo é alcançar o maior número possível de vinícolas, sabemos que todas será impossível, mas vamos buscar sempre mais”, explica a empresária Lucia Porto. O nome Brasil de Vinhos, por exemplo, surgiu da quantidade de diferentes rótulos produzidos no Brasil – um país formado por muitos vinhos. “Nosso país é continental”, explica o enólogo Luiz Gustavo Lovato. “Cada região, cada localidade, cada parcela de uma propriedade tem um terroir diferente”, resume. “Queremos mostrar isso de uma forma muito ampla”, explica a biomédica Caroline Dani.

Outras redes sociais devem fazer parte da segunda etapa do projeto

Numa segunda etapa do projeto outras redes, como Linkedin, twitter e facebook devem passar a fazer parte do escopo. “O consumidor do vinho é muito heterogêneo”, explica Roger Perotto, o responsável pela parte digital do Brasil de Vinhos. “Adaptamos nossa comunicação para atingir o maior número possível de pessoas”.

As vinícolas e as lojas interessadas podem se cadastrar direto pelo site ou pelo link que fica na bio do perfil @brasildevinhos no instagram.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here