COMPARTILHE

Por Igor Amaral –

O restaurante e bar Caldeira, que leva o sobrenome do dono, Rafael, abriu as portas há pouco mais de um ano, em Bento Gonçalves. E desde a inauguração, o local tem se tornado ponto frequente entre os apreciadores da boa gastronomia. Nós, da Revista Sabores do Sul, não podíamos ficar de fora dessa. Subimos a Serra e fomos conferir de perto o promissor restaurante.

O Caldeira fica em um travessa sem muito movimento. Por segurança, o proprietário optou em deixar os portões fechados e uma recepcionista na porta. Mas ninguém precisa ficar esperando para ser atendido. Nem bem chegamos e o portão já estava aberto. E pelo visto a escolha foi um grande acerto. Além de mais seguro, o ambiente do restaurante é exclusivista e intimista. Com poucos lugares e com as portas fechadas, o atendimento é personalizado e muito atencioso. Por isso, quem quiser tirar a prova real e ir visitar o Caldeira tem correr ao telefone e reservar um lugar.

A decoração do local mescla elementos de um restaurante requintando e um pub. Com quadros modernistas e traços da cultura italiana.

A decoração tem o misto da tradição e do moderno. Foto: Divulgação)
A decoração tem o misto da tradição e do moderno. (Foto: Divulgação)

Fomos recebidos por Rafael, um jovem empresário que rodou o mundo para montar o seu cardápio. Ele nos indicou o carro-chefe da noite: Ossobuco com polenta cremosa. Opção aceita.

Para beber, optei por uma cerveja local. Já que estamos na terra do vinho, não podia negar às raízes. Provei a cerveja Leopoldina Pilsner Extra, da Casa Vadulga, conhecida vinícola de Bento Gonçalves. Tal qual a maestria em derivados de vinho, a Valduga também se mostrou boa produtora de cervejas. Por falar em vinhos, a carta de bebidas do Caldeira é muito farta,  as opções de vinhos locais finos é um atrativo à parte.

Entre um gole e outro, o Ossobuco já estava na mesa. Servido em panelas de ferro, que sim, lembram a casa de nossas avós, ele vem acompanhado de um molho vermelho com vinho e ervas. O cheiro irresistível tomara conta do ambiente.

Cerja Leopoldina é produzida pela Casa Valduga de Bento Gonçalves Foto: Igor Amaral
Cerveja Leopoldina é produzida pela Casa Valduga  (Foto: Igor Amaral)

A receita, que é inspirada em um restaurante do Mercado Público de Florença visitado por Rafael, se complementa. A polenta cremosa, que leva requeijão, combina com o molho. A carne do Ossobuco é macia e, apesar de ser um músculo, é pouco fibrosa. E ainda tem o recheio de tutano, como gran finale. A porção do prato custa R$ 72 e serve confortavelmente duas pessoas.

Ossobuco com polenta foi a grande atração da noite Foto: Igor Amaral
Ossobuco com polenta foi a grande atração da noite (Foto: Igor Amaral)

+ Receita do Ossobuco com Polenta

O menu de sobremesas apresenta 5 opções. Escolhi a Pera ao Moscatel com sorvete de uva, que custa R$15.

Pera ao moscatel com sorvete de uva Foto: Igor Amaral
Pera ao moscatel com sorvete de uva (Foto: Igor Amaral)

O Caldeira é um restaurante novo. Primeiro empreendimento do proprietário, no ramo da gastronomia. Mas já supera muitos outros locais mais antigos e tradicionais. A ousadia de Rafael em agregar um pub ao restaurante deu certo. Os pratos, embora sejam elaborados, tem um marcante toque caseiro. A segurança, o requinte e personalização do atendimento fazem com que o cliente se sinta confortável. Essa foi a nossa primeira visita ao Caldeira. Outras virão!

Bento Gonçalves/RS
facebook.com/restaurantecaldeira
Av. Antônio Ducatti, 138
Fone: (54) 3701-0272

1 COMENTÁRIO

  1. Relato legítimo, correto e perfeito. Somos testemunhas, eu e a Gi. Ainda temos uma mordomia adicional , entrega á domicílio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here