COMPARTILHE

Por Gisele Santos –

Sou apaixonada por Florianópolis e todas as belezas naturais que a ilha oferece para os seus turistas. Mas além de praias belíssimas e a hospitalidade já conhecida de sua gente, Floripa tem uma atração que leva vários visitantes ao sul da ilha, mais precisamente ao Pântano do Sul, pequena localidade formada basicamente por pescadores.

É lá, nas areias de uma calma praia que está localizado um dos bares mais tradicionais da cidade: o Bar do Arante. Você já deve ter ouvido falar, se é que já não esteve por lá. O bar é conhecido pelos milhares de bilhetinhos que lotam suas paredes e tetos. São recados de todos os lugares do Brasil e do mundo falando das belezas do local, da boa comida e do atendimento do bar.

Criado em 1958 por Arante José Monteiro (que faleceu em 2012) o bar começou como uma pequena venda que comercializava alimentos para a comunidade local. Com o passar dos anos, os pescadores começaram a fama do local, que em seguida passou a ser conhecido também pelos aventureiros turistas que vinham desbravar as belezas do sul da ilha.

11159161_805236952899570_526029818_o
(Foto: Gisele Santos)

Hoje, o Bar do Arante é ponto de encontro de pescadores, comunidade local e turistas, vindos de toda a parte em busca de uma cachaça muito especial, boa comida e, claro, os famosos bilhetinhos.

Chegamos no meio da tarde e o bar estava bem lotado, mas conseguimos uma mesa na janela onde conseguíamos contemplar a praia de Pântano do Sul. De cara, o garçom nos trouxe a famosa Cachaça do Arante (por conta da casa) que já foi uma amostra do que nos esperava nas próximas horas.

(Foto: Gisele Santos)
(Foto: Gisele Santos)

Como ainda não havíamos almoçado, pedimos o Prato Típico da Ilha que acompanhava arroz, feijão, pirão, salada mista e um delicioso filé de peixe espada à milanesa. Para acompanhar, uma cervejinha gelada. O cardápio é vasto e claro que as especialidades da casa são os peixes, sempre bem fresquinhos.

(Foto: Gisele Santos)
(Foto: Gisele Santos)

Vale aqui contar uma curiosidade: na hora de escolhermos o nosso prato pensamos em uma Tainha. Quando fomos fazer o pedido ao garçom ele fez uma cara meio estranha e disse que Tainha não tinha não (com aquele sotaque típico da ilha que eu amo). Que não era época de Tainha e que se alguém quisesse nos oferecer o peixe poderíamos ter certeza que ele era congelado sabe se lá de quando. Achei muito honesto da parte dele nos negar a Tainha.

11167640_805236876232911_241929894_o
A dica deliciosa e honesta do garçom: filé de peixe espada à milanesa (Foto: Gisele Santos)

Bebemos algumas cervejas naquela tarde e ficamos lá, encantados com aquelas histórias e pensando em quantas pessoas passaram por ali e deixaram um pouco de si no Bar do Arante. A atmosfera do lugar é incrível e confesso que eu não queria mais sair de lá. Fui embora quase chorando, mas com a certeza que foi a primeira de muitas visitas, o primeiro de muitos bilhetes que ainda deixaremos nas paredes do Velho Arante. A nossa conta deu R$ 142,00 incluindo um cafezinho delicioso.

11136524_805236912899574_511105273_o
A Sabores do Sul não podia deixar de registrar essa visita! (Foto:Gisele Santos)

Mas e qual a história dos famosos bilhetinhos?
Ah, a história dos bilhetinhos. Quase esqueci de contar. Reza a lenda (ou seria história de pescador?) que os bilhetinhos serviam como forma de comunicação entre os aventureiros que vinham conhecer o sul da ilha. Eles deixavam recados para seus companheiros que estavam por chegar. Como era uma época sem celulares e outras tecnologias, os bilhetes davam as coordenadas de onde o grupo estaria nos dias seguintes. Se a história é real já não sabemos, mas que é boa é!

Florianópolis/SC
Pântano do Sul
Fone: (48) 3237-7022

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here