COMPARTILHE
Chef Genival Menezes, do Mercure Salvador Pituba. (Foto: Sabina Fuhr)

Conhecemos o chef Genival Menezes durante uma viagem a Salvador, na Bahia realizada a convite da rede Accors Hotels e Mercure Hotels. Ele, que é chef executivo do Mercure Salvador Pituba, segue a linha contemporânea e gosto de valorizar produtos sazonais e a gastronomia brasileira. Acompanhe a entrevista:

Quando e por que você decidiu ser cozinheiro?
Entrei em uma cozinha profissional pela primeira vez aos 12 anos; meu irmão tinha um restaurante e quando tive a oportunidade de ajuda-lo, pensei comigo: é isso que eu quero fazer. Me apaixonei pela arte de cozinhar! Temperar é um dom maravilhoso, além de criar, executar, conceber novas tendências e misturar sabores.

Conte sobre suas principais experiências profissionais ao longo da carreira
Estou no setor hoteleiro desde 1990. Passei por grandes redes hoteleiras no Brasil e no exterior. Trabalhei na Espanha, participei de festivais gastronômicos na Inglaterra, no Amazonas e no Paraná. Atualmente, sou graduado em Gastronomia, cursando pós-graduação em Gestão do Ensino Superior.

Quais chefs te inspiram?
O chef Alex Atala é um exemplo de inspiração, por mostrar ao mundo os ingredientes do cerrado brasileiro e apresentar produtos até então desconhecidos para muitas pessoas.

Quais são as suas influências na gastronomia?
Sigo a linha contemporânea e gosto de valorizar produtos sazonais e a gastronomia brasileira, usando derivados da mandioca (beiju, tapioca, goma e farinha), jabuticaba, peixes da costa brasileira, entre outros elementos que evidenciam a comida do recôncavo baiano. Minha principal influência na gastronomia são os produtos utilizados na culinária indígena, como o óleo de coco, que é muito saudável e agrega sabor a uma alimentação saudável.

Qual ingrediente não pode faltar na sua cozinha?
Amor, criatividade, vontade e comprometimento são ingredientes indispensáveis na minha cozinha.

Aquele que não entra de jeito nenhum?
Descomprometimento – trabalhar em cozinha sem gostar do que faz.

Que restaurante frequenta quando está de folga?
Gosto de restaurantes de massas ou comida oriental, como o Tokai, em Salvador.

Na cozinha, qual o principal erro que se pode cometer?
O principal erro do cozinheiro é pensar que poderá agradar a todas as pessoas.

Para você, o que é tendência em gastronomia atualmente?
Atualmente, possuímos uma infinidade de ingredientes do Brasil e do mundo disponíveis nos mercados. Para mim, a tendência é usar essa mistura de sabores e ingredientes para criar pratos contemporâneos, que desconstroem o básico e trazem novas descobertas.

Uma harmonização perfeita?
Gosto muito do camarão grelhado com molho de coco verde regado ao vinho branco.

Quais os planos para o futuro?
Ser chef corporativo de uma grande rede para treinar, disciplinar e mostrar que nossa Bahia não é só Carnaval.

Se você soubesse que morreria hoje, qual seria a última refeição?
Que pergunta a um baiano! Uma moqueca de peixe no tacho de barro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here